Comente... O Seu comentário é o Nosso Salário!! =D


30/04/2010

Tanta Carne #8 - Versão Feminina

Gente, só a título de informação... Toda vez que sento na frente do PC pra escrever sobre o Tanta carne de sexta, tenho alergia... Alergia a homem mesmo... Mas como as leitoras desse porcaria ótemo blog são altamente respeitadas e admiradas, resisto firmemente e escrevo o artigo até o fim.

Com Vocês, o Bonitão de hoje.



Perfil



Nome: Marcos Fábio Prudente (Isso Ai meninas... Pasquim é só nome artístico!)

Nascimento: 14/06/1969

Cidade Natal: São Paulo - SP

Altura: 1,80 m

Peso: 78 kg


Começou no teatro atuando na segunda versão da peça Blue Jeans, em 1992. Dois anos mais tarde, voltou a participar da peça, porém com um personagem de maior importância. Sua boa atuação chamou atenção e, em 1995, foi convidado a fazer parte do elenco de Cara e Coroa, da Rede Globo, novela que marcou sua estréia na televisão.

Entre 1995 e 1997, estrelou duas peças: Uma Lição Longe Demais e Aluga-se Um Namorado, que foram apresentadas por todo o Brasil.

Na televisão, participou de Malhação na Rede Globo, de Mandacaru, telenovela da extinta Rede Manchete e também de Chiquititas, telenovela argentina exibida pelo SBT. Esses trabalhos o fizeram ganhar respeito diante da crítica e do público.



Em 2000, voltou à Globo, fazendo o papel de Casimiro na polêmica Uga-Uga, de Carlos Lombardi, iniciando aí uma longa e produtiva parceria com esse autor. Foram vários os seus trabalhos juntos, entre eles: a minissérie O Quinto dos Infernos, em que viveu o protagonista D. Pedro I; a novela Kubanacan, em que interpretou o misterioso Esteban; a novela Pé na Jaca, em que despontou como o protagonista Lance, tendo feito par romântico com a atriz e modelo Fernanda Lima, casal considerado, por muitos, como o de melhor química da década; e ainda o seriado Guerra e Paz, onde deu vida ao protagonista Detetive Guerra.

Em 2001, voltou ao teatro, na peça de Juca de Oliveira, Qualquer Gato Vira-Lata Tem uma Vida Sexual Melhor que a Nossa e também fez parte da terceira versão da peça Blue Jeans. Enquanto isso, naquele ano, na televisão, limitou-se a apenas pequenas participações em especiais como Sai de Baixo, Brava Gente, Zorra Total e na novela Estrela Guia.

Em 2005, viveu o seu primeiro antagonista em novelas, o perigoso e traiçoeiro Tadeu de A Lua me Disse.

Atualmente, fugindo ao estereótipo dos homens descamisados ao qual já estava habituado a fazer, interpretou o artista de pintura Dênis de Azevedo na novela Caras & Bocas.

Foi ameaçado de morte por uma fã que disse ser sua amante há 5 anos,registrou queixa contra a suposta amante que havia ameaçado a sua namorada por email, a fã disse que cometeria um crime passional na Marquês de Sapucaí onde ele estaria com a sua namorada e também atriz Suzana Pires no domingo de carnaval.



Minhas Heroínas

Todo mundo (Todo Mundo mesmo), na infância, teve um herói ou heróis que gostaria de ser, desde o superman, até os Power Rangers.

Mas o tempo passa, as prioridades mudam, você começa a olhar diferente pras meninas, e assim caminha a humanidade...

Acho que foi com esse pensamento que fizeram essas ilustrações com alguns dos maiores heróis em suas versões femininas.



Particularmente prefiro essas versões!

Finalmente... Agora eu Entendo!

Sempre Soube que era um anão lá dentro!!

A Véia e a Lancha

Eram dois pescadores gêmeos.
Um casado e o outro solteiro.
O solteiro tinha uma lancha de pesca já velha.
Um dia, a mulher do casado morre.
E como uma desgraça nunca vem só, a lancha do irmão solteiro afunda no mesmo dia.
Uma senhora, dessas velhotas curiosas e alcoviteiras, soube da morte da mulher e resolve dar os pêsames ao viúvo, mas confunde os irmãos e acaba por se dirigir ao irmão que perdeu a lancha.
- Eu só soube agora. Que perda enorme. Deve ser terrível para si.
O solteiro, sem entender bem, explicou:
- Pois é. Eu estou arrasado. Mas é preciso ser forte e enfrentar a realidade. De qualquer modo, ela já estava muito velha. Tinha a parte de trás toda rebentada, deixava um cheiro horrível a peixe e vazava água como nunca vi. Tinha uma grande racha na frente e um buraco atrás que, cada vez que eu a usava, ficava maior.


Mas eu acho que o que ela não aguentou, foi mesmo eu emprestá-la a quatro amigos que se divertiam com ela. Eu sempre lhes disse para eles irem com calma, mas desta vez foram os quatro juntos e isso foi demais para ela... Foi Fatal.


A velhinha desmaiou.


Coisa da Velhinha Ale, via Messene

29/04/2010

Dicas de Quinta #9

Hoje o dicas de quinta vem pela primeira vez trazendo um filme nacional, que ainda está em cartaz, e sendo sucesso de bilheteria, tanto pela polêmica gerada pelo tema, quanto pelo seu nível, enquanto filme.

Eu Assisti, e dando a minha humilde opinião de viciado em cinema, recomendo. Uma das melhores cinebiografias que já assisti.


Chico Xavier



No inicio da década de 70 um programa entrou para a história da TV brasileira. Tratava-se de Pinga Fogo da extinta TV Tupi. Transmitido ao vivo, algo inédito para a época, tinha duração prevista de 60 minutos. Mas o convidado da edição de 28 de julho de 1971 fez o programa se estender por mais de 3 horas. Estava ali presente o médium, cristão e espírita Chico Xavier sendo sabatinado por jornalistas que tentavam desmascará-lo e apontá-lo como fraude. O carisma e a perspicácia de Chico em responder as perguntas, além de efetuar a primeira psicografia transmitida em rede nacional, ajudaram ainda mais na sua mitificação.


40 anos depois, uma nova obra audiovisual se propõe a humanizar o místico Chico Xavier, estreando justamente no dia em que este completaria 100 anos. O filme Chico Xavier (2010), com roteiro baseado na biografia do jornalista Marcel Souto Maior, As Muitas Vidas de Chico Xavier, se utiliza de trechos reconstituídos do Pinga Fogo como espinha dorsal da trama. Através de flashbacks, trechos da infância em Pedro Leopoldo no interior de Minas Gerais, da descoberta do dom da psicografia na juventude e a criação da Casa da Prece em Uberaba, todos os momentos chaves da história de Chico são balanceados com seus depoimentos no Pinga Fogo. Além disso, uma trama paralela de um casal que teve seu filho morto e aguarda por uma carta psicografada do garoto pelo médium também auxilia para que a história seja contada de uma forma convincente e sem uma linearidade temporal fixa.


Segundo o diretor do longa, Daniel Filho (responsável pelas comédias sucesso de bilheteria Se Eu Fosse Você 1 e 2), o personagem mais polêmico e, consequentemente, mais difícil de ser retratado, foi Emmanuel (André Dias), o guia espiritual que apenas Chico conseguia ver. Em uma cena cuja câmera sai do topo de uma cachoeira até os ouvidos do médium, literalmente entramos na sua cabeça e passamos a enxergar Emmanuel como ele o via e descrevia: manto branco, sandálias de couro marrom, aparência jovial e séria. As melhores passagens de Chico Xavier são justamente os diálogos de alívio cômico entre ele e seu guia, incluindo uma piada sobre a bizarra peruca que Chico insistia em usar. Se os espectadores ficam em dúvida sobre a veracidade dessas situações cômicas, durante os créditos finais vemos o próprio Chico dando voz a essas engraçadas histórias.


A caracterização do protagonista é outro atrativo do longa. Interpretado por 3 atores, o menino Matheus Souza na infância, Ângelo Antônio na juventude e Nelson Xavier na maturidade, Nelson certamente é quem mais se aproxima do original. A semelhança física do ator com o médium já impressionava a todos quando Chico ainda era vivo, fato que fazia dele o único e ideal candidato ao papel. Agnóstico convicto e receoso do convite, Nelson acabou aceitando e mergulhando de tal forma na persona de Chico Xavier que até as suas convicções religiosas foram abaladas. Aliás, citando a questão religiosa, quem pensa que irá ao cinema ver um filme meramente espírita, se surpreenderá em ver o quanto a mensagem de solidariedade ao próximo do protagonista passa por qualquer tipo de religiosidade.

Ah, Sim... A melhor cena, é na ida pra São Paulo, se não me engano, dentro do avião, quando o Chico Acha que vai morrer... Fikdik!

Cada uma Que Inventam!

Olá Crianças!

Fuçando e Passeando pela net Matando serviço Pesquisando conteúdo para postagens novas, dei de cara com essas “pinturas” no meio da rua... No meio não Né... Nas bocas de Lobo!

Não sei se é excesso de criatividade ou só falta do que fazer mesmo, mas o resultado ficou legal, tirando um pouco a idéia de cidade de concreto!

E de lambuja, arranjei material pra um trabalho da faculdade!




O Legítimo Pé Grande


E Se Fecharem??

Não achei o Off Ainda!

Tomada e...
Plugue!


Sempre soube que havia um motivo pelas árvores se abrirem assim...

Feliz dia das bruxas!

Dá Até Fome!! Quem nunca comeu um Mirabel que atire o primeiro wafer!!


Proibido fumar!


Negresco??

Antes do DVD era assim!

Será o fim?!?

28/04/2010

Tanta Carne #8

Buenas pessoal!

Sem Muita enrolação hoje, porque o dia foi miseravelmente cansativo!

Sorry!

Tanta Carne pra Rapaziada, com a Pirata Mais Linda dos Sete mares Keira Knightley


Perfil:


Nome: Keira Christina Knightley

Nascimento: 26/03/1985

Cidade Natal: Subúrbios de Teddington – Londres

Altura: 1,70 m

Peso:55 kg



É filha do ator Will Knightley e da atriz que se tornou escritora, Sharman MacDonald. O seu irmão mais velho, Caleb, nasceu em 1979. Keira conta que aos três anos de idade, quando viu o agente de seus pais sair de sua casa, decidiu pedir também um agente para si, mas como Keira era apenas uma criança os pais recusaram. Três anos mais tarde descobriu-se que tinha um problema em ler e escrever, embora não fosse oficial que ela sofria de dislexia.

Keira esforçou-se muito para ultrapassar o problema e com a ajuda da sua família conseguiu. Como recompensa do seu esforço os pais decidiram contratar um agente para a pequena Keira. Aos sete anos teve o seu primeiro papel na televisão no episódio "Royal Celebration" (1993) da série Screen One.


Também entrou nos filmes Innocent Lies (1995) e Treasure Seekers (1996) e ainda entrou na série britânica The Bill, onde interpretou uma personagem chamada Sheena Rose no episódio "The Swan Song", e foi para o ar em Abril de 1995. Em 1999 entrou em mais um filme: Coming Home, onde teve uma participação maior. Embora fossem papéis muito pequenos a Keira já era uma estrela de cinema desde pequena.

A primeira vez que o seu nome foi mencionado no mundo inteiro foi quando foi revelado (um segredo do director George Lucas) que ela interpretou o papel de Natalie Portman em Star Wars Episode I: The Phantom Menace (Star Wars: Episodio I: A Ameaça Fantasma) devido às semelhanças entre as duas atrizes.

Depois disso estrelou outras séries de televisão.

Em 2001 entrou no filme The Hole onde teve a sua primeira cena de nudez, mas Keira tinha apenas 15 anos por isso os produtores tiveram de esperar ela fazer 16 anos para poder lançar o filme.


Embora tenha tido participações em todos esses filmes e séries o seu primeiro grande papel no mundo do cinema foi Bend It Like Beckham (2001), um filme sobre uma garota de origem indiana que adora futebol e os problemas que teve de ultrapassar para conseguir conservar a sua cultura e religião mesmo jogando futebol. O filme custou 3,5 milhões de dólares, e conseguiu arrecadar 75 milhões no mundo todo.

Mas em 2003 entrou numa grande produção de Jerry Bruckheimer, Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra, onde interpretou Elizabeth Swann, pelo qual ficou famosa mundialmente. As filmagens duraram desde outubro de 2002 até março de 2003 e nunca pensaram que o filme seria um sucesso. Mais tarde decidiram criar mais dois filmes onde Keira voltou com a sua personagem Elizabeth Swann.


Entre os filmes dos piratas, também estrelou Rei Arthur, 2004, Camisa de Força, 2005, entre outros.

Em 2005, com apenas 20 anos, Keira foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz, por sua atuação no filme Orgulho e Preconceito.




Caaalma meninas... Na Sexta, como de costume, tem pra vocês também! ^^

27/04/2010

Tocando o Terror #5

Olá Galere!!

Hoje tem a coluna mais esperada que menstruação atrasada da namorada: Tocando o Terror! (Não sei como, mas já chegamos à quinta edição!)

A história está light... Na verdade, nem é uma história...

Tá Mais pra um manual de como agir. Mas vamos parar de enrolação e partir pra ação.

(Lembrando que não apoio ou deixo de apoiar nenhuma religião em particular... Aqui o Intuito é a diversão e a cultura, mesmo que inútil)



Os Babás

Babás, no candomblé, são espíritos de mortos, convocados para voltar ao nosso plano com alguma finalidade. Para invocar um babá, a mãe-de-santo vai ao túmulo da pessoa junto com um grupo de adeptos e realiza um ritual, de que faz parte a colocação, sobre a tumba, de uma certa roupa, às vezes colorida, às vezes coberta de espelhos ou adornos, que será ocupada pelo espírito reanimado. Vários babás são então reunidos em uma casa, onde chegam os adeptos e os convidados para assistir a cerimônia. Depois que todos entram, um círculo de babás homens cerca a casa; para quem vê, são tecidos que flutuam no ar como se estivessem pendurados numvaral, um ao lado do outro. A partir desse instante ninguém mais pode entrar ou sair da casa. Lá dentro, numa sala iluminada, os convidados assistem à entrada dos babás. As peças de roupa atravessam as frestas das portas fechadas, e uma vez dentro da sala, inicia-se uma dança (se é que pode se chamar assim), ao ritmo dostambores e das palavras da mãe-de-santo.


As crianças geralmente se encolhem debaixo dos bancos, transidas de pavor. É proibido duvidar do que estáacontecendo; se alguém se manifesta ou deixa transparecer um traço de ceticismo, é convidada a se aproximar. Se a pessoa tem boas relações com a mãe-de-santo, esta simplesmente faz com que um dos babás deixe a roupa por um momento; a roupacai ao chão imediatamente; a mãe-de-santo então re-invoca o babá e a roupa novamente flutua e dança. Mas se a pessoa não for amiga da mãe-de-santo, ou for um desconhecido, a mãe-de-santo simplesmente convida a pessoa a tocar no babá para ver se é de verdade. Acontece que tocar num babá é a última coisa que alguémem sã consciência deve fazer; a pessoa pode levar semanas para se recuperar da surra que levará.

Por isso, ninguém se atreve a se aproximar da casa durante acerimônia, rodeada pelo círculo de babás homens. A casa de algumas mães-de-santo é guardada à noite por um par de babás, e ela dorme com as portas e janelas abertas porque sabe que nenhum ladrão ousará chegar perto de uma casa com essa proteção. Uma mãe-de-santo advertira os filhos para não chegar tarde, pois a partir das dez da noite os babás ficavam de prontidão;

Certa noite ele se esqueceu e chegou as três, e ao tentar entrar em casa foi sovado pelos babás até quase morrer. A mãe-de-santo não pôde fazer nada, pois sabia que nada podia ser feito; esperou os babás terminarem e então levou o filho para dentro, para tratar seus ferimentos com os ungüentos do candomblé.


Para dúvidas, críticas, elogios, xingamentos, ameaças de morte, ou pedidos de casamento, (que serão prontamente rejeitados), exercite sua liberdade de expressão escrevendo para: mascador_de_borboleta@hotmail.com